Compartilhe:

Ouvimos falar em inovação o tempo todo. A tecnologia tem avançado numa crescente realmente impressionante e isso só é possível através de mentes e atitudes inovadoras, que buscam fugir do óbvio todos os dias.

O que muitos ainda não assimilam é que inovação nem sempre está ligada à tecnologia e altos custos. Aliás, é possível inovar em situações do cotidiano que não exigem quase investimento algum, basta fugir do senso comum, sempre buscando trazer melhorias.

Para inovar é preciso que a ideia atenda às necessidades e expectativas do mercado, ser viável e sustentável financeiramente e, claro, proporcionar bons resultados. Afinal, uma inovação que não gera retorno não atingiu seu objetivo principal.

Se sua empresa deseja assumir uma postura inovadora é preciso que um passo muito importante seja dado logo no início: perca o medo de errar!

É isso mesmo! Uma empresa que deseja ousar e buscar novas alternativas, seja para melhorias de processos ou para criar novos produtos, deve manter o medo do erro bem longe. Grandes transformações surgem através de muitas tentativas, erros e acertos. Não espere que os seus funcionários comecem a desenvolver soluções vanguardistas se dentro da cultura organizacional não existir espaço para erros que certamente aparecerão ao longo dessa jornada.

Existem dois modelos diferentes de inovação: a incremental e a disruptiva.

A inovação incremental não tem como finalidade quebrar paradigmas. Nesse tipo de inovação, geralmente pequenas melhorias são feitas, de forma que não modifiquem as principais características do que está sendo alterado. Por menores que sejam essas mudanças, é possível obter vantagens de médio e longo prazo em relação ao mercado. É uma solução para quem quer inovar com um respaldo um pouco maior, já que esse modelo é mais utilizado para processos de melhoria contínua.

Já a inovação disruptiva, assim como o nome sugere, surge para romper padrões e, de fato, apresentar algo completamente inusitado. A proposta desse modelo busca trazer a ruptura de um novo mercado, oferecendo produtos para pessoas que até então nem sabiam que eles existiam.

Para que a inovação aconteça com maior fluidez na sua empresa, é preciso estimular e desenvolver a criatividade todos os dias. Esses estímulos podem vir através de uma mudança no ambiente de trabalho, ou até mesmo mudar alguma coisa na sua casa, assistir novos filmes, descobrir novos lugares, conhecer novas pessoas, conversar de assuntos variados.  Conforme a mente fica exposta a novidades, o estímulo acontece, tornando a capacidade de observação mais aguçada, facilitando para que novas ideias surjam.

Um ponto muito importante: inovação não pode ser encarada como uma ação pontual. Não basta desenvolver algo criativo e parar por aí. Uma cultura inovadora é feita de maneira permanente, dia após dia. Ao contrário, você não estará contribuindo para que sua organização se destaque dentre tantas outras do mercado, mas sim para que eventualmente realize algo criativo, porém sem ser fortalecida por isso.

Eu também quero inovar!

Agora que entendemos melhor o que é inovação, quais são os seus modelos e vimos que o primeiro passo para instalar uma atmosfera inovadora na sua empresa é perder o medo de errar, podemos partir para os próximos passos. Mas antes de selecionar algumas práticas que você pode adotar, precisamos falar sobre mais dois pontos fundamentais para isso: experiência e o ser humano.

Estamos condicionados a pensar prioritariamente em nossos produtos e serviços de qualidade. Mas se você quer inovar, coloque-os em segundo plano. Foque no tipo de experiência que esse produto irá causar em seu público. As atenções não devem ser para a nova criação, mas sim para quais experiências o seu cliente poderá sentir através dela.

Você já pensou em qual será a proposta de valor do que você irá oferecer? Se sua resposta for qualquer outra que não coloque o ser humano no centro, talvez seja o momento de voltar algumas casa e reavaliar a sua ideia. A inovação precisa atender as necessidades do mercado e o mercado é feito de pessoas. Portanto, cuidado ao inovar demais e pensar de menos em que realmente importa: o seu público.

Acompanhe a seguir algumas dicas de como tornar a sua empresa mais inovadora, segundo o especialista no assunto, Felipe Scherer:

1 – Coloque a inovação como uma prioridade estratégica;

2 – Pense em  sua estratégia de inovação além dos produtos;

3 –  Mobilize a liderança para potencializar a criatividade das equipes;

4 – Faça das lideranças embaixadores da inovação;

5 – Esteja preparado para o fracasso e saiba administrar os erros;

6 – Não desanime quando os problemas começarem a aparecer;

7 – Dedique tempo para as atividades de inovação;

9 – Crie um ambiente favorável para inovar;

10 – Sensibilize os colaboradores para a inovação;

11 – Mapeie as competências dos inovadores em sua empresa;

12 – Estabeleça o processo com etapas e critérios customizados para o negócio da empresa;

13 – Busque inspiração em outros setores;

14 – Estabeleça uma proposta de valor que resolva algum problema ou potencialize um benefício ao consumidor;

15 – Use ferramentas específicas para estruturar os projetos de inovação;

16 – Trabalhe na qualificação das ideias recebidas;

17 – Dê atenção a como comunicar para o mercado as inovações desenvolvidas;

18 – Estabeleça um modelo de governança de acordo com a estratégia de inovação;

19 – Faça a gestão do portfólio de projetos inovadores;

20 – Meça os resultados e outros indicadores de inovação;

21 – Dedique-se a otimizar os investimentos em inovação.

Esteja atento aos movimentos do seu mercado e fique de olho em que posição a sua empresa está perante os seus concorrentes. Ficar parado no tempo não é bom para o mercado, para seus clientes e muito menos para a sua organização. Inovar não é uma tendência, é uma realidade. Ou melhor, tornou-se questão de sobrevivência. Portanto, comece a pensar em novas formas de oferecer outras possibilidades para o seu público. É melhor inovar enquanto é tempo!

Por: Blog Starti. © 2016 Inovação: como ser uma empresa diferente?

Compartilhe: